Alemanha financia o ensino técnico-profissional em Moçambique

Formação de carpintaria na escola de ensino técnico-profissional Young Africa, na Beira Ampliar imagem (© Thomas Trutschel/photothek.net)

O Ministério da Economia e Finanças de Moçambique assinou um acordo de financiamento com o Banco de Desenvolvimento KfW. O financiamento em causa destina-se a um Projecto que visa apoiar o Sector da Formação e do Ensino Técnico-profissional nas províncias de Inhambane, Manica e Sofala. O subsídio da Cooperação Financeira Alemã concedido pelo Governo Alemão está orçado em 15 milhões de Euros (aproximadamente 712 milhões de Meticais).

 

O projecto foca-se num dos mais significativos obstáculos ao investimento no país: a falta de mão-de-obra com as qualificações adequadas. Este factor assume uma importância estratégica para o futuro desenvolvimento económico de Moçambique, uma vez que constitui um pré-requisito para o crescimento económico sustentável.

 

A Cooperação Financeira Alemã irá apoiar instituições de ensino técnico-profissional não comerciais e semiprivadas seleccionadas na implementação e/ou introdução de currículos baseados em competências. As medidas do projecto incluem a aquisição de equipamento, trabalhos ao nível das infra-estruturas, bem como o fortalecimento das capacidades de gestão das instituições beneficiárias em termos de manutenção.

 

O objectivo do projecto consiste em aumentar o número de graduados qualificados que frequentam as instituições de ensino técnico-profissional, ao mesmo tempo que contribui para a melhoria da qualidade do ensino e formação ministrados nessas instituições. O propósito global é o aumento das oportunidades de emprego para os jovens em Moçambique.

 

Ao cooperar com este projecto, a Cooperação Financeira Alemã contribui para a realização do Programa Quinquenal do Governo 2015-2019, o qual identifica a promoção do capital humano no país como prioridade e estabelece que o número de estudantes matriculados no ensino técnico-profissional deverá aumentar dos actuais 42.000 para 65.000 em 2019.

Formação de mecánica de auto na escola de ensino técnico-profissional Young Africa, na Beira Ampliar imagem (© Thomas Trutschel / Photothek)